As transformações químicas (reacções químicas) são transformações em que uma ou mais substâncias se transformam em novas substâncias.
Quando é apenas uma substância que se transforma, a transformação química chama-se decomposição.

Na Natureza e no nosso dia-a-dia, ocorrem muitas transformações químicas, tais como:
  • Cozinhar os alimentos;
  • Um material a arder (por ex., madeira ou gás);
  • A formação de ferrugem;
  • A fotossíntese de uma planta;
  • A respiração de uma pessoa.

As transformações químicas são provocadas por vários factores:
  • Calor;
  • Luz;
  • Electricidade;
  • Fricção ou choque (acção mecânica - por ex., quando se acende um fósforo).


Transformações Químicas por Acção do Calor



Fabrico do cimento


O calcário e a argila são aquecidos a 1450 ºC e transformam-se numa mistura sólida chamada clínquer, que é o principal constituinte do cimento.

Saber +


Fabrico do vidro


A areia (constituída por minerais de sílica) é aquecida a 1500 ºC e transforma-se numa mistura líquida, que é arrefecida para ser moldada e fabricar os objectos de vidro.


Extracção de metais na indústria metalúrgica


A indústria metalúrgica (metalurgia) é a indústria que fabrica metais, a partir dos minérios (rochas constituídas por metais ligados a outras substâncias, como o oxigénio ou enxofre).

Os minérios são aquecidos em altos-fornos e transformam-se numa mistura líquida de metal fundido com impurezas (por ex., o ferro fundido é obtido por aquecimento a 1160 ºC). Depois, o metal tem de ser separado das impurezas, para ser mais resistente (para não se quebrar facilmente).



Formação das rochas metamórficas


As rochas sedimentares e magmáticas são aquecidas no interior da Terra e transformam-se nas rochas metamórficas:
  • O calcário (rocha sedimentar) transforma-se em mármore;
  • O argilito (rocha sedimentar) transforma-se em xisto;
  • O granito (rocha magmática) transforma-se em gnaisse.

As rochas metamórficas também se podem transformar noutras rochas metamórficas.
Estas transformações químicas, que ocorrem sem fusão das rochas, chamam-se metamorfismo.


Outras transformações químicas


O calor também provoca as seguintes transformações químicas:
  • O fermento (bicarbonato de sódio)transforma-se em carbonato de sódio, água e dióxido de carbono;
  • O calcário (carbonato de cálcio) transforma-se em cal sólida (óxido de cálcio) e dióxido de carbono;
  • A cal sólida (óxido de cálcio) reage com a água, formando-se água de cal (hidróxido de cálcio) e oxigénio;
  • O óxido de mercúrio transforma-se em mercúrio (metal líquido) e em oxigénio;
  • O enxofre reage com o ferro, formando-se sulfureto de ferro.




Transformações Químicas por Acção da Luz


Fotossíntese


A fotossíntese é uma transformação química que ocorre nas plantas, na presença de luz:
  • A água (captada pelas raízes) e o dióxido de carbono do ar (captado pelas folhas) são transformados em oxigénio e glicose (açúcar ou matéria orgânica);
  • O oxigénio é libertado para a atmosfera e a glicose fica no caule, nos frutos e nos tubérculos (por ex., na batata, beterraba e cenoura).


Formação da vitamina D e da melanina


A luz ultravioleta do Sol provoca transformações químicas na pele humana, responsáveis pela produção de:
  • Vitamina D, que ajuda a ligação do cálcio aos ossos e evita o raquitismo;
  • Melanina, uma proteína que escurece a pele (responsável pelo bronzeado) e protege as células do excesso de luz ultravioleta;
  • Cancro da pele (melanoma), quando a luz ultravioleta em excesso atinge o ADN, no núcleo das células.


Formação do ozono


A luz ultravioleta do Sol transforma o oxigénio em ozono, que protege a Terra dos raios ultravioletas, formando a camada de ozono na parte superior da atmosfera.

Formação das imagens nas radiografias e fotografias


A película das radiografias é constituída por cloreto de prata.
Quando os raios X atingem a película, esta escurece porque o cloreto de prata transforma-se em prata (de cor preta) e cloro.
As zonas escuras da radiografia correspondem às zonas moles do corpo, que os raios X conseguem atravessar.
As zonas claras da radiografia, correspondem às zonas mais duras do corpo (por ex., os ossos), que os raios X não conseguem atravessar (são as zonas da película que não receberam os raios X e que não se transformaram).

Os rolos fotográficos (das máquinas que não são digitais) também têm cloreto de prata, que se transforma em prata (de cor preta) e cloro, quando a luz atinge a película fotográfica.
As zonas escuras da película correspondem às zonas claras da imagem (são as que receberam mais luz), e vice-versa, pelo que a película chama-se negativo.


Transformações Químicas por Acção da Electricidade


A electricidade (corrente eléctrica) pode provocar transformações químicas chamadas electrólises, quando se mergulham num líquido condutor da electricidade, dois materiais condutores chamados eléctrodos (por ex., grafite, zinco e cobre).
O líquido é transformado (decomposto) em duas substâncias diferentes, que se acumulam junto de cada eléctrodo.


Electrólise da água


Durante a electrólise da água, a electricidade transforma a água em hidrogénio gasoso e oxigénio gasoso, formando-se bolhas dentro de água.
O hidrogénio é o gás que se forma em maior quantidade e pode ser detectado porque explode na presença de uma chama.
O oxigénio pode ser detectado porque reacende um pavio incandescente.



Electrólise do cloreto de cobre e do iodeto de zinco


Durante a electrólise do cloreto de cobre, a electricidade transforma o cloreto de cobre aquoso em cloro gasoso e cobre sólido.

Durante a electrólise do iodeto de zinco, a electricidade transforma o iodeto de zinco aquoso em zinco sólido e iodo sólido.


A electrólise na indústria metalúrgica


A electrólise pode ser utilizada para extrair metais de minérios (por ex., extrair o alumínio da bauxite).

A electrólise também pode ser utilizada para cobrir metais com uma camada (banho) de outro metal (por ex., o ferro cromado tem uma camada de crómio, o ferro zincado tem uma camada de zinco, os metais baratos são cobertos com ouro e prata).
Deste modo, os metais ficam mais resistentes (por ex., não enferrujam) ou mais valiosos.
O metal que se quer cobrir é mergulhado num líquido, que possui partículas de outro metal.
A electricidade provoca a separação destas partículas e a sua deposição sobre o metal que se quer cobrir.